Terça-feira, 30 de Setembro de 2008
Mas por onde é que começamos?
Desculpem a ausência dos últimos tempos, mas muitos (e bons motivos) têm-nos mantido longe da vida bloguística:



1. A magnífica festa da "Time Out", na sexta-feira à noite, num palácio maravilhoso ali no Príncipe Real. Não houve pessoa com quem tivesse falado que não começasse a conversa com um "mudava-me já para aqui". Na hora h todos temos a mania das grandezas. Que bom! Fora isso, registe-se que passei a noite a rir na sala senior (eles sabem do que falo!) e bebi uma caipirinha (é preocupante esta coisa de ultimamente registar tudo o que bebo)
2. A festa foi a pausa Kitt Katt na mudança de casa. Sim, vamos mudar. Aliás, já mudámos. A nossa vida no T2 está resumida em 120 caixas (120?!) divididas pela nossa "casa de substituição" e o armazém. E, aqui chegados, há que agradecer, e agradecer muito, aos senhores da Urbanos. Se não fossem eles ainda lá estava a empacotar coisas, incapaz de me decidir sobre o que é importante, o que podemos deitar fora. Não se pode ser mais pedante que isto, mas a certa altura dei por mim a pensar no Lobo Antunes. Uma vez numa crónica dele é que li qualquer coisa sobre a mania que os velhos têm de guardar tudo e de se rodearem de "coisas". E sou assim. Assim, já em nova, note-se. Eh eh. Bom, mas o que cabe aqui dizer é que estou verdadeiramente impressionada com a empresa de mudanças. Primeiro, chegaram a horas. Segundo, eram limpos, lavados, educados e estavam bem vestidos (isto é que me deixou de queixo caído). Terceiro, reciclam caixas de cartão e todas têm impresso o local onde se destinam, o que têm dentro e para que divisão da casa se destinam. Eu já tinha ouvido falar de gente assim, mas pensei que só existiam nos filmes. Para serem perfeitos só lhes faltava não escreverem "Ereceira", "parteleiras" e "armanzém". Mas isto é a nota de humor numa mudança exemplar. Não sei se se nota, mas estou mesmo contente.
3. Quando o assunto são mudanças, só há coisa que chateia: é que durante uns tempos uma pessoa tem sempre a sensação de viver como uma cigana, perdão, como um povo nómada. E disso não gosto nada. A casa está cheia de papelão, a Madalena estranha o quarto, constipou-se e a atenção para ele é muito escassa. Estou a tentar não me culpar, mas acho mesmo que ando a fazer um mau trabalho.


publicado por Lina às 20:05
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar
 
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Presente

To whom it may concern

Intervalo político

21 semanas

É o Armando Gama? É a Mar...

Ser madrinha

Passado

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

links
tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds