Quarta-feira, 1 de Abril de 2009
E, de repente, a culpa

A Madalena não quis vir ao meu colo hoje, quando cheguei a casa. Vou tentar esconder a minha tristeza lembrando - e agradecendo, já agora - que estamos nos destaques do Sapo. Bem hajas, estrela do mais lindo videoclip de Paul McCartney. Mais, em sinal de apreço e agradecimento até vou deixar aqui o link para o vídeo. Que é para daqui a uns anos ser totalmente gozada pela minha filha. Parece que já a estou a ver: "Era mesmo isto o melhor que conseguiam fazer?". Era, era... e foi tão bom!

 


tags:

publicado por Lina às 22:10
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Sábado, 28 de Março de 2009
O mais ignorante é aquele que não quer saber

Não é de bom tom fazer isto, mas preciso de desabafar uma coisa - sem grande importância - que me está a pesar muito cá dentro. Estive num serviço idiota hoje. Com um grupo de pessoas que se acham "os próprios". E passei a odiá-los. Especialmente ao cabecilha. Como diria Maitê Proença, tanta gente boa para ter uma dor dentes e este aqui na maior... (Bom, na versão original, ela foi um bocadinho mais agressiva)


tags:

publicado por Lina às 00:19
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 13 de Março de 2009
Porquê?

A história do bebé de nove meses que morreu dentro do carro asfixiado é tão horrível, tão horrível, "tão estúpida" e "dramática" (como alguém da polícia disse) que nem tenho coragem de me revoltar contra o pai do miúdo. Por que acontecem coisas assim? Porquê? 


tags:

publicado por Lina às 10:06
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Quinta-feira, 15 de Janeiro de 2009
É a crise a morder-nos os calcanhares

O dia hoje esteve cinzento e não foi por causa da chuva.

Despediram 122 pessoas da empresa onde trabalho, 12 eram do jornal onde escrevo, o 24horas, e conheço outra do "Jornal de Notícias". De uma penada extinguiram a delegação do Porto e mandaram embora a telefonista e uma pessoa da fotografia. Não me apetece alongar-me sobre isto, por respeito e solidariedade com os que perderam o trabalho. Não estou na pele deles e, por mais que tente, só posso imaginar a angústia que sentem. Pior, sinto que nada disto resulta efectivamente do seu (mau) trabalho. Foram eles, porque era mais fácil.

Para os que continuam, ficou o aviso: se não conseguirmos fazer mais dinheiro (criar novas oportunidades de negócio, é o que lhe chamam agora) espera-nos idêntico destino.

De falta de clareza não os podem acusar, mas não era preciso tanto.

Nos poucos anos que levo disto de trabalhar e descontar para a segurança social, sempre tive claro que o meu posto de trabalho não estava  seguro só pelo facto de pertencer "aos quadros". Quando os patrões querem despedir alguém ou acabar com um projecto, fazem-no. É tudo uma questão de engenharia jurídica.

E se eu aprendi isto foi graças ao meu primeiro trabalho a sério, na revista Super POP. Os donos eram espanhóis, os métodos da Roménia de Ceausescu: pagavam fortunas de indemnização para ser livrarem de quem deixava de lhes servir. Pareço cínica por dizer isto? Pois, talvez, Mas, curiosamente  (ou não), a versão portuguesa desta revista foi a primeira vítima da hecatombe editorial a que estamos a assistir desde que entrámos em 2009.

Fechou.

 

(Se calhar, ainda vou ter de dar razão aos Gato: era melhor passar já para 2010)



publicado por Lina às 22:22
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 12 de Janeiro de 2009
O Comandante vai embora

Talvez isto não faça sentido para a maioria das pessoas que passam aqui, não faz sentido sequer para a pessoa a quem se destina este blogue, mas a notícia do dia (do meu dia) é que o Comandante Monteiro Coelho, o director de Relações Exteriores da TVI, está de abalada. Sem desprimor para todas as outras pessoas com quem já trabalhei, esta saída entristece-me mais do que alguma outra da minha carreira profissional. Já me despedi de colegas de quem gostava muito, mas nunca foi para sempre. Havia, e há, possibilidade de nos reencontrarmos algures, num outro trabalho. Mas desta vez é diferente. O Comandante vai embora mesmo. Pendura o boné, arruma as chuteiras, reforma-se. Estou mesmo triste.

 

 

*Adenda: A pressa é inimiga da perfeição. Claro que a saída do Comandante tem tudo a ver com a Mini. Eu é que fiquei atordoada e nem conseguia juntar dois mais dois. Porque no dia em que a nossa filha nasceu, a TVI enviou-nos um ramos de flores para celebrar a ocasião. Foi um momento muito especial, que comoveu também a minha família. Como é que saída do Comandante podia não me deixar triste...

 


tags:

publicado por Lina às 18:48
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Presente

E, de repente, a culpa

O mais ignorante é aquele...

Porquê?

É a crise a morder-nos os...

O Comandante vai embora

Passado

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

links
tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds