Quarta-feira, 30 de Setembro de 2009
O que é mais espectacular?

- Que a Madalena peça para ouvir a música Aqui p'rá Você dos Buraka Som Sistema quando vamos no carro em lugar o Kalemba (Wegue Wegue), apesar do ordineirota que é a canção

 

- Que entoe o refrão dessa mesma música e faça a ponte para o ABC do Rock do CD Panda vai à Escola, compreendendo que ambos versos terminam em

- Que lhe tenha perguntado os nomes dos colegas, me tenha falado do Pedu (Pedro), do Guigo (Rodrigo), da Chuchu (Sussu, alcunha da Sofia), do Bugo (Hugo) ou da Titia (não sei quem é, mas não é a Matilde)

 

- Que lhe diga que vamos ao supermercado, que se vai cansar, que é preciso ter paciência, que a paciência é aguentarmos um bocadinho uma coisa que não gostamos e, uma vez no dito estabelecimento, quando a bomba está prestes a explodir, lhe peça para ter paciência e ela ficar sossegada

 

- Ou que insista em colocar as compras no tapete rolante, em carregar um pack de quatro iogurtes e que tire a tampa de um dos boiões com precisão de adulto sem se sujar nem um bocadinho (em casa lambuzou-se toda, mas no carro não deixou marcas!)?

 

TUDO no mesmo dia.

 

 



publicado por Lina às 23:25
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Terça-feira, 29 de Setembro de 2009
Algo verdadeiramente importante: Joana e Camila

Na sexta de manhã, eram umas 07.00, chegou a mensagem: a Joana e a Camila, formely known as Bebés B, já eram parte deste mundo. "A nossa nova vida começa agora", escreveu o papá babado. São duas meninas sobreviventes desejadas pelos pais e também por nós, os amigos, que vimos a barriga crescer e fizemos força para que o final desta história fosse feliz.

Já cá estão e, pelas fotos, são lindas, pequeninas, uma mais branquinha que a outra (lol), e tão indefesas e poderosas como só os bebés conseguem ser.

Pela parte que nos toca, conto os dias para aquele momento de loucura em que vamos ser esmagados pela energia de três miúdas reguilas (a Mini e as gémeas). Imagino a confusão, o stress, os bocados de pão pelo chão, as choraminguices e as birras, as saídas inesperadas e os vestidos todos sujos e acho lindo.

Sejam bem-vindas, miúdas!

 

 (E as saudades que isto dá de ter um bebé pequeno em casa?)



publicado por Lina às 01:17
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Colégios privados querem ajuda do estado (?!)

Deve ser a notícia mais cómica das últimas semanas, daquelas que fazem as delícias da darling Mónica, mas hoje vi uma reportagem na TV sobre a crise nos colégios privados e de como há famílias que têm dificuldades financeiras e que, por causa da crise, não estão a conseguir pagar a mensalidade. Até aqui tudo bem. Têm toda a minha solidariedade. Mas então começam a aparecer os donos e directores destes estabelecimentos de ensino pedindo (naquele tonzinho irritante que raia a exigência) que o estado ajude estes pobres estudantes.

Fiquei presa ao ecrã a esfregar os olhos como nos desenhos animados. Seria verdade? Ou estamos perante doentes com síndrome BPN?

Meus amigos, ficam desde já a saber: nós aqui não somos a santa casa da misericórdia. Não pago as mensalidades de colégios privados de ninguém a não ser a minha filha (e mesmo assim, sabe Deus até quando é que isso vai durar). Mas onde é que já se viu isto'? E o ano lectivo não começou há menos de um mês? Não se podem inscrever as crianças no ensino público? Haja paciência! Embora tenha que reconhecer que é preciso ter muita lata e mais cara de pau do que o Pinóquio para dar a cara por uma opinião destas.



publicado por Lina às 00:51
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 28 de Setembro de 2009
Ah, pois, houve eleições

E reparo com estranheza que há pessoas que preferem ver no poder um 'trafulha de esquerda' a um 'honesto de direita', e vice-versa. Tinha ideia que a democracia era um sistema a favor da igualdade, do povo e do bem, mas parece que afinal há gente para quem isto se resume a fanatismo clubístico.

Pela parte que me compete neste blogue, Madalena, fica um conselho que ouvi já vai para mais de 10 anos no anfiteatro 001, da FCSH, da boca do professor Adriano Duarte Rodrigues (um dos meus favorites): "Não nos podemos demitir das nossas responsabilidades políticos, sob pena de deixarmos espaço para todos os loucos e ditadores". Conselho da mamã: apesar da tentação, natural (digo eu!), não convinha que engrossasses a lista dos 39% de abstencionistas.

 

Os números que saíram das eleições de domingo, 27:

PS - 36,5% (96 deputados)

PSD - 29% (78)

CDS/PP - 10,46% (21)

BE - 9,8% (16)

PCP - 7,8% (15)

 

Entretanto, e num tom mais desopilante, estas eleições serviram para descobrir que Ana Drago se chama Ana Isabel Drago Lobato. O que sublinha a importância de saber escolher bem um nome artístico.

 

 


tags:

publicado por Lina às 23:13
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sexta-feira, 25 de Setembro de 2009
Sem palavras

No hall do prédio:

Mãe: Madalena, vamos chamar o elevador.

Madalena: Vadô! Vadô!



publicado por Lina às 14:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

No melhor pano cai a nódoa

Imagine-se o que é ir almoçar a um restaurante sozinha com a Mini. Um stress, não é? Sobretudo para ela, que apesar dos seus torpes movimentos com a colher consegue passar uma refeição sem se sujar, ao contrário de sua mãe que mal pôs a colher à boca se sujou na t-shirt.


tags:

publicado por Lina às 10:55
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 24 de Setembro de 2009
E agora são as aftas

Resumo dos últimos dois dias:

Depois uma intensa terça-feira de trabalho que acabou às 23.00, com uma interrupção da avó (essa santa em vida), aflita com uma mega-birra da Mini que não queria pôr a fralda (estamos nessa fase!), encontro a baby acordada e a chorar. E quando digo chorar é mesmo chorar como ela própria, como uma Madalena. Razão? Desconhecida até então. Dentes era a nossa aposta nessa altura, a avaliar pela quantidade de baba que lhe saía da boca. Consegui finalmente deitá-la com a ajuda de um biberão de leite. Também podia ser fome, tendo em conta que quase não tinha jantado. A coisa parecia ter acalmado, o pai chegou, vimos o Gato Fedorento, andei por aqui, e então quando nos preparávamos para dormir, a Mini acorda outra vez num pranto. Nada a calava. Nem abraços, nem beijinhos, nem brincadeira.

- Queres leitinho? (Era improvável, mas vale sempre a pena perguntar).

- Não!"

Ora, quando a Madalena não quer comer algo se passa.

- Vamos para a cama dos pais?

- Nããão!

(Aqui está uma criança que, ao contrário de outros, considera dormir com os pais um tormento! E podemos garantir que o colchão é bem bom).

 

Sem resposta, decidimos levá-la às urgências. Não sei os outros pais, mas nós pensamos sempre que vamos para o hospital fazer figura de parvos, com o sono que a Madalena tinha era bem provável até que adormecesse até chegarmos à CUF Descobertas. Mas não. E aqui estava o indicador número dois de que algo de errado se estava a passar. Tínhamos razão.E desta vez era um cromo novo.

 

A Madalena está com uma estomatite viral (mais um bonito nome), uma porcaria que não tem de grave, mas esta é chata como o raio, dado que a criança está com a gargante inflamada e boca cheia de aftas, para além dos quatro dentes-vampiro que efectivamente começaram a romper. Daí a dificuldade para comer, daí a dificuldade em dormir.

 

Estamos há dois dias em casa, ela e eu. Não porque o caso seja de extrema gravidade, mas porque precisa de ser vigiada a toda a hora, garantindo que se mantém hidratada. Continua a querer comer, mas quase nada lhe agrada e pouco come.  Nem as uvas que são a sua perdição. Ficámos reduzidas a leite quase frio, gelado de nata e fatias de brioche. Sopa nem vê-la e peixe pouco. A médica avisou- nos que a situação ia piorar antes de melhorar mas, apesar das crises de choro, acho que temos a situação controlada. E, pronto, ísto é também o retrato do começo do novo ano lectivo. O infantário está cheio. De miúdos e de vírus.

 

(Para memória futura: benuron intercalado de brufe, bexident antes das refeições e Mycostatin depois, três vezes por dia)


tags:

publicado por Lina às 16:06
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009
Because of You

 

Tu eras pequenina, pequenina, devias estar a dormir a sesta e a mamã ficou a ver a Oprah. Estava a Kelly Clarkson, uma ex-concorrente do Ídolos e eu queria ver como era ser a Luciana Abreu na América. Adorei esta canção, Because ogf You, cantada em dueto com uma estrela da míusica country, uma tal Reba McEntire de quem nunca tinha ouvido falar e provavelmente não voltarei a ouvir uma palavra que seja. É foleira? É capaz. Mas gosto muito do refrão. E já perdi a conta às vezes que a ouviste ao meu colo.

PS: A fuça da McEntire mete medo, não é? Mas quando ultrapassas isso, melhora.



tags:

publicado por Lina às 00:18
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Um mês no novo trabalho

Pouco tempo com a Madalena, mas feitas as contas não deve ser assim tão diferente. Quando estou, estou. Boa a sensação aprender coisas novas, algumas básicas outras nem tanto. Piadas com o Khadafi. Saber quem é o Farouk Hosni (ou Faruk Hosny, a doutrina diverge). É assim a vida. Tudo muda.  Schnell, schnell!



publicado por Lina às 00:06
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 22 de Setembro de 2009
A nossa bússola eleitoral

O tio da Mini diz que não percebe como é que uma pessoa que ganha 500 euros vota no PS ou no PSD. É uma questão de classe! E eu entendo o que ele diz. Por isso é que no dia 27 de Setembro , por uma questão de classe, vou votar no partido que ofereça condições às mulheres "normais" - dessas que cometem a loucura e o arrojo de terem os seus filhos e o 'gajo' e o trabalho e a casa e ainda a quererem fazer desporto e a divertirem-se (as levianas!) - de chegarem a presidentes do conselho de administração de uma empresa. Há algum assim?

Algum partido que me explique como é que chegámos a 2009 com tão poucas mulheres em cargos de chefia e, como se isso não fosse já suficientemente mau, não encontramos em Portugal uma mulher num cargo de chefia importante que não seja solteira ou lésbica ou sem gajo ou com muitos gajos, mas sem filhos.  

Se houver um partido assim, por favor, deixem a sigla na caixa de comentários.
Tenho seguido com mais atenção do que o costume as propostas partidárias e estou em condições de afirmar que não ouvi nenhum político vir a terreiro expor uma ideia que permita às mulheres "normais" (essa vasta minoria que horroriza as elites temendo, quiçá, que se invadam as comissões executivas com cheiro a bolçado e/ou refogado) mandarem efectivamente. Podendo até dar-se esse extraordinário caso, nunca visto entre os machos-alfa deste país, de eu não querer promoções, mas aqui a minha vizinha do lado não prescindir delas. Logo que tenhamos opções...



publicado por Lina às 01:52
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Presente

To whom it may concern

Intervalo político

21 semanas

É o Armando Gama? É a Mar...

Ser madrinha

Passado

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

links
tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds