Quinta-feira, 31 de Janeiro de 2008
Obrigada

Antes que me esqueça, obrigada a todos os que se lembraram da Mini-Madalena hoje e ligaram ou mandaram sms a desejar sorte e mandar beijinhos. Foi muito bom e agradecemos muito.



publicado por Lina às 01:28
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 30 de Janeiro de 2008
Milagre

Milagre é a palavra que me ocorre mais vezes quando penso que estou grávida e que a Mini-Madalena vai nascer. Passaram nove meses e continuo surpreendida.

Ter filhos não é simples e gostaria de nunca me esquecer disso, sobretudo agora que a Mini-M. está a ponto de chegar. Se tudo correr como previsto, é amanhã (já hoje, se tivermos em conta que já é 01h00).

Uma vez que esta deverá ser a última vez que escrevo para a Madalena antes de ela ser gente a sério, com direito a registo e existência na conservatória, queria só dizer-lhe que este blogue foi feito inteiramente a pensar nela (e no momento em que será ela a fazê-lo) e que pretendo que seja um gigantesco álbum do bebé para que nenhum detalhe lhe escape. Isto, claro, partindo do princípio que ela tem algum interesse em saber um bocadinho do que era o mundo quando ela chegou.






publicado por Lina às 23:44
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Terça-feira, 29 de Janeiro de 2008
Agora a sério...

Já há data!!!



publicado por Lina às 01:54
link do post | comentar | favorito
|

Transversal

Bom, esqueçam tudo o que escrevi de manhã.
A Madalena, afinal, movimenta-se como gente grande dentro da barriga da mãe.
E  até mudou de posição nas últimas três semanas. Só que em vez de dar uma cambalhota como Deus manda, foi pior a emenda do que o soneto. Ficou na transversal. Portanto, se antes já não havia qualquer hipótese de nascer naturalmente, agora então é que não há a mín
ima hipótese.




publicado por Lina às 01:49
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 28 de Janeiro de 2008
Breech babies
Como sabem, calhou a Mini-M. ser uma daquelas bebés que não se viram. Pélvicos, em português, breech babies, em inglês. Para memória futura, deixo aqui uma foto das várias posições que tomam e arrisco dizer que a nossa filha deve pertencer à categoria do meio. Pelo menos o que sinto. Pontapés em cima e pontapés em baixo.

Na net não faltam exemplos de vídeos de mulheres a darem à luz bebés que nascem de pés. Ainda pensei pôr um aqui, porque é belíssimo, mas as peles mais sensíveis não iam aguentar, tenho a certeza. É tão bonito como inesperado e, até, assustador.

Como em tudo neste mundo, existem opiniões para todos os gostos e pelo que me pude aperceber há uma espécie de corrente incentivando as mamãs a darem à luz naturalmente mesmo quando os bebés estão de cabeça para cima (daí a quantidade de vídeos). Pela parte que nos toca, não fazemos questão de fazer história. Nem vamos fazer nada para que a Mini-M. se vire (parece que há aí umas técnicas), nem nos vamos armar em valentes pedindo um parto normal.


publicado por Lina às 09:12
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 27 de Janeiro de 2008
Isto é estilo

Já me tinham dito e confirmei com os meus próprios olhos: Keri Russell, a.k.a. Felicity de "Felicity", é uma das mamãs mais estilosas de sempre.



publicado por Lina às 22:49
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2008
Menina do papá

A minha filha ainda não nasceu e já é uma menina do papá. Eu sei que isto parece incrível, mas a Mini-Madalena há muito que reconhece a voz do pai. Basta que ponha a mão na barriguinha e diga duas ou três coisas para ela se começar a mexer. É tão lindo que chega a ser comovente!



publicado por Lina às 12:55
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Caixas prioritárias para grávidas e pessoas com crianças de colo

As caixas prioritárias para grávidas, pessoas com crianças de colo e deficientes são exclusivo de apenas alguns supermercados (da minha experiência: continente, jumbo, pingo doce) e cada um faz como entende. Há quem chame, há quem ignore, há quem ajude e do lado de cá há quem deixe passar, quem seja uma simpatia, quem assobie para o lado e quem seja genuinamente distraído. Mas nunca nada foi tão bom como o que vi no continente.

Portanto, estou a pagar numa caixa exclusiva para grávidas e pessoas com acompanhantes de colo e uma senhora de uns 50 anos olha para a placa, borrifa-se para o que diz e mete as coisas no tapete. Atrás dela, uma senhora com uma criança ao colo e umas olheiras de meio metro, mete as coisas.

A rapariga da caixa acaba de me atender e diz à senhora: "esta caixa é só para grávidas e para pessoas com crianças ao colo" e ela começa a dizer qualquer coisa como "eu também tenho direitos". E então sai-se com esta pérola: "Eu também estou grávida".

Escusado será dizer que o resto das pessoas, incluindo eu, ficámos a olhar, incrédulas, para ela. É preciso ter lata! Bem lhe respondeu a rapariga da outra caixa, que saiu em socorro da colega. "Fica à sua consciência". Infelizmente, para gente capaz de se pôr à frente de uma mulher com um miúdo ao colo a consciência não interessa muito.



publicado por Lina às 12:41
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 14 de Janeiro de 2008
Algo sério, para variar

Como se já não me bastasse a ideia - atemorizante, acreditem! - de mudar fraldas, dar de comer, pôr a arrotar, dar banho, adivinhar o significado dos choros, eis que me confronto com outra preocupação: a vacina da BCG está esgotada. E, pior, nem sequer encontro informação suficientemente esclarecedora sobre o assunto.

Portanto, eu ando há dois dias a ouvir o Correia de Campos a defender o seu postozinho porque não quer que se confunda o fecho das urgências com a morte do bebé de Anadia e a minha filha vai sair da maternidade sem uma das vacinas obrigatórias. Pergunto: um ministro da saúde que não consegue manter o stock de algo tão básico não está mesmo a pedir para ser remodelado? Eu acho que sim. E já.



publicado por Lina às 22:34
link do post | comentar | favorito
|

Cada vez mais crescida... e sem se virar

A Mini-Madalena não se virou e as probabilidades de que isso venha a acontecer são cada vez mais pequenas. Pelo que tenho lido e o médico explicou, os babes viram-se entre a 32.ª e 34.ª semanas. Já vamos na 35.ª e o médico foi claro: se o panorama continuar a ser este, vamos ter de fazer cesariana. Precisamente o que eu não queria, mas já me fiz à ideia. E apesar desse gigantesco contra chamado recuperação, há vantagens: assim nasce mais cedo. Não vamos ficar aqui à espera que a bolsa das águas se rompa ou que venham as contracções. E vamos poder vê-la logo que nasça sem ser no meio do maior cansaço.

Segundo a última ecografia já pesa 2.640 gr. Cada vez maior, portanto! Estava a mexer as mãos e muito confortavelmente sentada. Rica vida, sim senhora.


sinto-me:
tags:

publicado por Lina às 22:34
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

pesquisar
 
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Presente

To whom it may concern

Intervalo político

21 semanas

É o Armando Gama? É a Mar...

Ser madrinha

Passado

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

links
tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds